Você conhece o turismo regenerativo? Viaje mudando o mundo

9 de julho de 2021

Durante anos, o setor de viagens e turismo foi um grande agente negativo em relação às comunidades locais de destinos turísticos, mas ainda há tempo de revermos nossos conceitos e repensarmos nossa maneira de viajar e de nos relacionarmos com o ambiente em que estamos. Todos os dias surgem novas ideias de sustentabilidade que propõem inovações no turismo, e é disso que viemos falar.

Uma dessas ideias é o turismo regenerativo, que sugere discussões sobre o modelo das atividades turísticas vigentes. Para ajudar você a entender melhor o assunto, preparamos este artigo com tudo o que você precisa saber para mudar seu jeito de viajar.

O que é turismo regenerativo?

Esse tipo de turismo ganhou força nos últimos anos à medida que a discussão de novos métodos sustentáveis de viajar entrou em ascensão. O conceito apresenta transformações que vão além da diminuição dos danos, pois a preservação em si não seria suficiente para recuperar os impactos já causados. Partindo desse ponto, ele busca não somente preservar, mas sim usar o turismo como agente de recuperação e resgate dos diversos impactos negativos que já causamos em ecossistemas, povos e culturas durante as atividades turísticas. 

O turismo regenerativo abrange maneiras de aplicar a sustentabilidade e, ao mesmo tempo, pensar nas esferas sociais, culturais e econômicas. Resumidamente, é a ideia de que somos capazes de melhorar um local pelo ato de viajar. Lembrando que isso envolve não somente o turista, mas também as empresas e agências desse mercado.

Princípios do turismo regenerativo

Esse conceito pode ser resumido em alguns “mandamentos” ou princípios que o resumem bem e podem ajudar na hora da trip.

– Visão do todo: enxergar que ecossistemas são vivos e interligados, que interagem entre si e que evoluem juntos. É essencial entendermos que um indivíduo não é apenas um ser isolado, pois cada relação sua depende de outra e implica em uma terceira.

– Dependência natural: entender de uma vez por todas que dependemos da natureza e somos parte dela.

– Sociedade e economia: além da natureza, considerar as características socioculturais, econômicas e políticas de uma comunidade.

– Coletividade: colaborar com todos os atores envolvidos, formando uma cadeia sustentável que busca benefícios mútuos.

– Particularidades dos destinos: entender as características únicas dos locais; observar e entender sua cultura e particularidades para preservá-las.

– Comunidade local: valorizar e dar protagonismo à comunidade local, pois é ela quem mais conhece o destino e tomará as melhores decisões para aquele lugar.

– Qualidade em vez de quantidade: desenvolver o turismo em função qualitativa em vez de quantitativa, ampliando seus benefícios à comunidade local.

– Novos negócios: mudar a maneira como os negócios do setor de turismo trabalham para que não agridam mais os ecossistemas e, assim, começar a regenerá-los.

Exemplos de turismo regenerativo

Muitos hotéis já usam práticas do turismo regenerativo, como o Anavilhanas Lodge, na região amazônica, a Comuna do Ibitipoca, em Minas Gerais, e o Jaguaribe Lodge & Kite, no litoral cearense.

E aí, está preparado para mudar o mundo? Então corra para o nosso site e garanta sua trip valorizando o ser humano e respeitando a natureza!