Guia completo para conhecer o RJ “all by myself”

22 de janeiro de 2018

Se coragem e liberdade são palavras que combinam com você, vale a pena dar uma chance para a experiência de viajar sozinho. Além de contribuir para o amadurecimento e o autoconhecimento, esse estilo de trip oferece uma série de benefícios, como a vantagem de organizar o próprio roteiro – de forma que ele conte só com passeios do seu interesse e siga os horários de sua preferência (ou seja, acordar, dormir e realizar refeições apenas nos momentos desejados) – e não lidar com tédio ou mau humor dos companheiros de viagem. Isso sem contar as pessoas que você conhecerá a cada passeio.

Um bom destino para começar a colocar o pé na estrada sozinho é o Rio de Janeiro, um estado para lá de bonito e que conta com destinos e atrações incríveis para desbravar alone.

Como chegar

É possível chegar à Cidade Maravilhosa de carro, ônibus ou avião. Saindo da capital de São Paulo de carro são cerca de 437 km de estrada e o valor a ser gasto depende bastante do automóvel. Dá para gastar menos de R$100 na passagem se a sua opção de transporte for o ônibus. Por outro lado, ir até o Rio de avião fica um pouco mais caro, mas vale a pena diante do tempo de viagem, que dura apenas uma hora. O custo da ponte aérea é de aproximadamente R$180 e você pode reservar aqui. Ah, o valor sofre muitas alterações conforme as datas e a antecedência, viu?

O que fazer

Para sair do clichê da cidade maravilhosa e ainda aproveitar sol, praia e muita diversão, vale conhecer algumas cidades que ficam bem próximas à capital fluminense. Veja a seguir dicas de como chegar e curtir cada destino.

Para quem curte história: Paraty

Foto da cidade de Paraty

Se você gosta de lugares mais vazios, se interessa por conhecer pontos históricos e não dispensa um bom mar ou banho de cachoeira, Paraty é o destino certo. A cidade com cerca de 120 praias e ilhas tem papel essencial na história do Brasil, especialmente na época da exploração do ouro. O centro histórico, inclusive, é um patrimônio.

Como chegar?

Caso queira conhecer a cidade maravilhosa antes de ir à Paraty, saiba que dá para ir de uma cidade a outra de ônibus e a passagem fica aproximadamente R$80. A viagem demora cerca de quatro horas. Indo direto da capital paulista, a passagem fica quase o mesmo preço, mas o percurso tem duração de seis horas. Ah! De carro são cerca de quatro ou cinco horas.

Onde ficar?

Os hostels são boas escolhas para quem viaja sozinho. Isso porque o ambiente é mais descontraído e bastante propício para conhecer novas pessoas (quem sabe até um crush?). Duas opções de hostels em Paraty são: Geko Hostel & Pousada Paraty, que fica próximo à Praia do Pontal e Che Largato Hostel Paraty, que tem uma decoração bem bacana e ainda fica no bairro de Caborê, a alguns minutos do teatro dos bonecos. Se a ideia é ficar em pousada, o Recanto dos Madda’s, também em Caborê, é uma boa escolha.

O que fazer?

O primeiro passeio indispensável em Paraty é conhecer o centro histórico. E uma boa dica para quem vai sozinho é aproveitar para realizar o Paraty Free Walking Tour, um passeio que percorre o centro com instrutores que contam um pouco da história do lugar. O roteiro não tem custo fixo, mas aceita contribuição voluntária. Ainda no centro, nossa dica é experimentar os restaurantes com clima colonial como a Casa de fogo e o Benditas Restaurante. Nas noites de quarta-feira vale conferir o tradicional “Em Concerto”, peça de bonecos que acontece no Teatro Espaço.

Indo para mais distante do centro, alguns roteiros legais são: Praia do Sono, Trindade e Caminho do Ouro. A primeira opção fica em um vilarejo de pescadores e tem areia clara e águas cristalinas. Para chegar até lá basta ir à rodoviária de Paraty e pegar um ônibus em direção à praia – a passagem custa menos de R$5. Depois é preciso fazer uma trilha ou ir de barco. Para pegar a trilha é preciso descer no ponto final e para ir de barco é preciso descer um pouco antes – para saber o lugar exato basta perguntar para o motorista ou cobrador. A viagem dura aproximadamente 45 minutos.

A segunda opção é também é uma vila de pescadores que une vida simples à belezas naturais. Chegar em Trindade, a partir de Paraty, é muito fácil: só pegar um ônibus na rodoviária que custa menos de R$10. Você não precisa de carro para explorar as praias e cachoeiras deste paraíso, isso porque o trajeto a pé é bem tranquilo. Uma ótima opção é visitar a cachoeira Pedra que engole – uma das mais famosas da região. Para chegar até lá, siga trilha de 20 minutos que começa na Praia do Meio. Visite também a praia e as piscinas naturais do Cachadaço. Você certamente vai se apaixonar!

Já o Caminho do Ouro é uma estrada calçada que foi criada pelos escravos entre os séculos 19 e 20, e ligava Minas Gerais ao Rio de Janeiro durante a época de extração do ouro. Localizado em meio a Mata Atlântica esse passeio está repleto de belezas naturais. No caminho é possível, inclusive, é conhecer três cachoeiras diferentes: a do Tobogã (mais conhecida), a das 7 quedas e a da Pedra Branca. Vale levar um pouco de dinheiro, pois algumas das cachoeiras ficam em áreas privadas e cobram taxa de visitação.

Para quem quer relaxar: Arraial do Cabo

Foto de praia em Arraial do Cabo

A ideia é relaxar, deixar o estresse da cidade de lado e curtir o sol? Então vá para Arraial do Cabo. Com praias de areia realmente branca e água azul, bem transparente, esse destino é comparado ao Caribe e, com certeza, um dos que mais aparecem na timeline do Instagram, não é mesmo?

Como chegar?

Aqui, novamente o ônibus e o carro são boas opções. Saindo de São Paulo (SP), a viagem dura oito horas de carro ou ao menos nove horas de ônibus. A passagem custa aproximadamente R$200. Já saindo do Rio a viagem demora 4 horas e a passagem custa menos de R$80.

Onde ficar?

Para relaxar de verdade em Arraial do Cabo, vale se hospedar no  Hotel da Canoa ou no Capitão n’Areia Pousada. O primeiro é simples, fica à 600 metros prainha e da Praia Grande e conta com Wi-Fi e ar-condicionado. Um diferencial dessa opção é que o hotel organiza caminhadas ecológicas, passeios de barco, cursos de mergulho e excursões de mergulho para mergulhadores experientes. Faça sua reserva aqui.

Já o segundo parece aquelas construções gregas, que são pintadas de branco e contam com detalhes azuis. Ele fica de frente para a praia dos Anjos e possui academia, cafeteria, espreguiçadeiras, guarda-sol, piscina externa, biblioteca e sauna seca. Faça sua reserva aqui.

O que fazer?

A principal atração de Arraial do Cabo são as praias. Com um pouco de disposição é possível conhecer algumas delas a pé. A primeira é a Praia do Forno! Belíssima e com uma boa infraestrutura, você pode acessá-la através de uma trilha. Outra boa escolha é a Praia dos Anjos, bastante agitada por conta dos pescadores. Nessa mesma praia saem as embarcações para Praia do Farol, uma das mais conhecidas da região. Os passeios de barco custam a partir de R$70 e no percurso é possível ver golfinhos e conhecer a Gruta Azul, formação rochosa que possui uma água bem azul – daquelas que dispensam qualquer filtro.

Arraial do Cabo conta com mais 200 pontos de mergulho e, se você nunca mergulhou, não tem problema, viu? É só optar pelo batismo, o mergulho acompanhado pelo instrutor. Dá para ver tartarugas, golfinhos, águas vivas e diversos outros animais marinhos. O batismo custa em média R$200.

Para terminar o dia vale ir ao Pontal do Atalaia ou à Praia Grande, lugares em que é possível ter uma visão privilegiada do pôr do sol. Já para aproveitar boas refeições, a Prainha, a Praia Grande e a Praia dos Anjos são os lugares certos, pois oferecem uma boa quantidade de restaurantes. Boas alternativas são Bacalhau do Tuga, Farol Velho e Saint Saint Tropez.

Para quem gosta de aventura: Ilha Grande

Foto de praia em Ilha Grande

Se você gosta de fazer trilhas, Ilha Grande é o lugar no Rio de Janeiro perfeito para você desbravar sozinho. Isso porque o destino conta com 16 trilhas oficiais, que levam a grande parte das praias da região.

Como chegar?

O trajeto até a Ilha Grande é um pouco mais complicado se comparado aos demais destinos, já que parte do percurso deve ser feito de barco. Você pode sair de Angra dos Reis (em uma viagem que varia de 30 minutos a 1h40), Marangatiba (entre 1h20 e 1h40) e Conceição do Jacareí (de 15 a 50 minutos). O preço da travessia até a ilha fica entre R$16 e R$50 dependendo do tipo de embarcação.

Onde ficar?

A Pousada Telhado Azul, localizada na Vila de Abraão, oferece bar, recepção 24 horas e café da manhã gratuito. A Pousada Albatroz também é uma boa pedida. Com um estilo rústico tropical, ela oferece chalés ou quarto com varandas.

O que fazer?

Ilha Grande oferece uma série de atrativos e o melhor é que é possível acessar grande parte deles a partir de trilhas! Entre eles está a praia Lopes Mendes, considerada uma das mais bonitas do Brasil. Para chegar até ela, basta pegar uma trilha de aproximadamente duas horas. Caso queira encurtar o caminho, dá para ir de barco até uma parte do circuito (R$30) e percorrer um caminho de 20 minutos até a areia.

Outra opção imperdível é o passeio de barco pela ilha. Uma boa escolha é a meia volta, que custa entre R$90 e R$160 e percorre a Lagoa Verde, a Lagoa Azul (ambas com praias de águas bem cristalinas e que, de tão calmas, parecem piscinas), o Saco do Céu (prepare-se para ver o céu refletindo na água), a Praia do Amor e a Manguariquessaba. Ainda neste passeio é possível visitar a Praia da Feiticeira e a cachoeira que leva o mesmo nome.

A maioria dos restaurantes fica em Abraão e nossa sugestão é que você prove a culinária do Pé na Areia e do Banana da Terra. Outra dica é o Coqueiro Verde, próximo à Praia do Saco do Céu.